No dia 14 de março, a Coalizão Brasil Clima, Florestas e Agricultura divulgou dois novos posicionamentos à sociedade.

No primeiro texto, a Coalizão aborda as mudanças no marco regulatório do licenciamento ambiental brasileiro. O movimento defende que as mudanças na legislação devem ter como objetivo estimular a atividade econômica e, ao mesmo tempo, a preservação dos ativos socioambientais do país. Esse equilíbrio é necessário para atender aos compromissos assumidos pelo Brasil no Acordo de Paris (clique aqui para ler o Posicionamento sobre Licenciamento Ambiental).

O segundo posicionamento aborda o aumento do desmatamento registrado nos últimos anos e as propostas de redução de áreas de Unidades de Conservação na Amazônia. Para o movimento, o crescimento da devastação florestal e a redução de áreas protegidas colocam o Brasil na direção contrária à de suas metas da Política Nacional de Mudanças Climáticas (clique aqui para ler o Posicionamento sobre Desmatamento).

Os textos são o resultado de intensos debates realizados entre os membros da Coalizão, que formaram grupos específicos para tratar desses dois temas. Neles, manteve-se a diversidade de atores da Coalizão, com representantes de diversos GTs. Por se tratarem de temas controversos, a Coalizão fez amplo uso de sua capacidade de ouvir as diferentes vozes que formam o movimento e promover diálogos para chegar a um consenso mínimo entre todos. lembrando que as instituições que fazem parte do movimento são independentes para se manifestarem de forma individual sempre que desejarem.