Coalizão Brasil lança relatório sobre a liderança do país em tecnologias de monitoramento de uso da terra

 

Resultado de um seminário científico, promovido pela Coalizão Brasil Clima, Florestas e Agricultura, em 17 de maio de 2018, o relatório reúne os principais dados dos maiores especialistas no tema.

 

O relatório da Coalizão Brasil tem o objetivo de trazer a ciência da geração dos dados obtidos por satélites de observação da Terra a todos os interessados no tema.


Além da geração dos dados, é essencial conhecer detalhadamente as metodologias empregadas em cada um dos diferentes levantamentos, inclusive as margens de incertezas. É preciso também entender as limitações das tecnologias de sensoriamento remoto e melhorar a comunicação dos dados para a sociedade e as análises de seus impactos sobre os riscos e oportunidades de investimento.


Bons dados podem produzir informações consistentes para a tomada de decisão, enquanto dados ruins podem criar políticas e análises equivocadas ou de curto alcance.


O Brasil está numa posição vantajosa em relação à produção de informação a partir de dados de satélites de observação da Terra. Segundo o cientista Carlos Nobre, um dos idealizadores do seminário e também membro do Grupo Estratégico da Coalizão Brasil e da Academia Brasileira de Ciências e membro estrangeiro da US National Academy of Sciences, no início da década de 1970, quando os primeiros satélites de observação da Terra foram lançados, o país, de forma pioneira, começou a desenvolver tecnologias baseadas em imagens de satélites para monitorar os recursos naturais e alterações da cobertura vegetal do território brasileiro.


Isto tornou o Brasil reconhecido internacionalmente como um dos líderes no uso e desenvolvimento de tecnologias de sensoriamento remoto para o monitoramento sistemático do uso e cobertura da terra.


Seminário e relatório


O relatório traz um resumo das apresentações do seminário. Nos painéis 1 e 2, pesquisadores vinculados a universidades, instituições governamentais, entidades do terceiro setor e prestadores de serviços altamente especializados apresentaram as diferentes tecnologias e metodologias usadas na obtenção e processamento de dados de uso e cobertura da terra e também a acurácia e as incertezas científicas associadas a estes dados. Demonstraram também como foi possível usar décadas de conhecimento acumulado sobre clima, conservação ambiental, monitoramento da cobertura vegetal e agricultura, associado às novas tecnologias de sensoriamento remoto, computação em nuvem e inteligência artificial, para obter dados confiáveis sobre uso e cobertura da terra.


No painel 3, comunicadores apresentaram os desafios na divulgação e análise dos dados gerados pela ciência para embasar políticas públicas consistentes. No painel 4, representantes do mercado financeiro expuseram como suas instituições utilizam ou poderiam utilizar essas bases de dados para realizar uma análise mais fundamentada de seus investimentos no campo.

 

Clique aqui para descobrir como a ciência pode contribuir para o desenvolvimento e melhoria da agropecuária e para o combate às interpretações distorcidas ou imprecisas sobre uso e cobertura da terra


Mais informações:
• Confira o vídeo com as principais mensagens do seminário e do relatório!
• Você pode assistir ao seminário na íntegra no YouTube da Coalizão Brasil:

Parte da manhã (abertura e painéis 1 e 2)
Parte da tarde (painéis 3 e 4 e encerramento)