Coalizão lança Força Tarefa Rastreabilidade da Carne na Amazônia

foto 1 texto 3 b46

Foto: Alfribeiro / iStock


Em abril, a Coalizão Brasil criou uma força-tarefa dedicada a encontrar soluções reais para o desafio da rastreabilidade da carne na Amazônia. Esse tema é uma das prioridades da iniciativa Amazônia Possível, da qual a Coalizão é signatária, por ser uma das medidas consideradas como efetiva para garantir o desenvolvimento sustentável da região e coibir atividades ilegais.

São participantes da Força-Tarefa Rastreabilidade da Carne, além da Coalizão, Associação Brasileira das Indústrias Exportadoras (Abiec), Associação Brasileira do Agronegócio (Abag), Instituto Arapyaú, Instituto de Manejo e Certificação Florestal e Agrícola (Imaflora), Instituto de Pesquisa Ambiental da Amazônia (IPAM), JBS, Marfrig, Partnerships for Forests (P4F), The Nature Conservancy (TNC), Universidade Federal de Minas Gerais (UFMG) e WWF-Brasil.

A criação da Força-Tarefa (FT) foi oficializada em reunião, realizada em 6 de abril, na qual foram definidos os encaminhamentos dos próximos meses. O primeiro passo será a orientação e desenvolvimento de um estudo que aponte os avanços já feitos para a rastreabilidade da carne no Brasil e onde estão as lacunas atuais. Os resultados desse levantamento determinarão os próximos passos para o trabalho do grupo, que deve mirar em uma solução capaz de abranger todos os elos da cadeia – do criadouro à engorda, abate, varejo e consumo.

O esforço para iniciar o trabalho em torno do tema teve início, por parte da Coalizão, no evento público realizado na COP 25, em Madri, quando o movimento e o Amazônia Possível promoveu uma mesa de discussão sobre rastreabilidade da carne junto à Abag, a JBS, IPAM e Instituto do Homem e Meio Ambiente da Amazônia (Imazon) (Veja o vídeo sobre como foi o debate aqui).

A Coalizão tem também dialogado com o Observatório da Agropecuária Brasileira, iniciativa do Ministério da Agricultura, Pecuária e Abastecimento (MAPA) que pretende reunir e consolidar dados do setor agropecuário a fim de prover os gestores e empresários do setor com informações estratégicas para tomadas de decisão, bem como fomentar a criação de políticas públicas. Em dezembro de 2019, o MAPA lançou o projeto Inovação nas Cadeias Produtivas da Agropecuária para a Conservação Florestal na Amazônia Legal, assinado entre o governo federal, o Banco de Desenvolvimento Alemão (KfW) e a representação do Instituto Interamericano de Cooperação para a Agricultura (IICA) no Brasil. O projeto deverá ter duração de cinco anos (de 2020 a 2024) e investimento de 25,5 milhões de euros. O público-alvo do projeto serão as propriedades rurais das cadeias produtivas da carne, da madeira e da soja, por meio de organizações públicas em cooperação com produtores agrícolas, setor privado e sociedade civil.