Ministério Público discute crime organizado, corrupção e desmatamento na Amazônia

texto 3 foto 1 b45

Foto: Antonio Augusto/ Secom/PGR

No dia 19 de fevereiro, a Câmara de Meio Ambiente e Patrimônio Cultural do Ministério Público Federal (4CCR/MPF) e a Transparência Internacional Brasil realizaram o seminário "Amazônia: desmatamento, crime organizado e corrupção", com apoio da campanha Seja Legal com a Amazônia. A Coalizão Brasil é uma das organizações signatárias dessa campanha.

O evento teve como principal destaque a proposta do MPF de conclamar uma atuação conjunta entre órgãos ambientais e sociedade civil no combate ao crime organizado e à corrupção que movimentam o desmatamento na Amazônia.

A abertura foi feita pelo subprocurador-geral da República Nívio de Freitas, coordenador da Câmara de Meio Ambiente e Patrimônio Cultural do MPF (4CCR). À mesa, também esteve presente Marcello Brito, presidente do Conselho Diretor da Abag (Associação Brasileira do Agronegócio), representando a Coalizão Brasil e a campanha Seja Legal com a Amazônia. Brito ressaltou a importância da conservação do bioma para o agronegócio brasileiro. “Quando tratamos bem a Amazônia, o Brasil é beneficiado em termos de imagem e isso se traduz em benefício para toda a economia brasileira em suas exportações”, disse.

Também participaram Paulo Barreto, pesquisador sênior do Imazon - entidade que também apoia a campanha -, Bruno Brandão, diretor-executivo da Transparência Internacional Brasil, Domenica Bumma, representante da União Europeia, Joaquim Alvaro Pereira Leite, diretor do Departamento de Florestas do Ministério do Meio Ambiente, e Juliano Baiocchi, ouvidor-geral do MPF.

Foram realizadas três mesas de debate com o objetivo de estabelecer a relação entre os crimes de corrupção, grilagem e desmatamento e as possíveis soluções. Foi abordada ainda a regularização fundiária como estratégia de prevenção à grilagem e ao desmatamento.

Para as associações participantes da campanha Seja Legal com a Amazônia, a promoção do seminário destacou a importância do trabalho da Força-Tarefa (FT) Amazônia, do Ministério Público Federal (saiba mais sobre essa FT na série de vídeos da campanha Seja Legal com a Amazônia), que teve sua atuação prorrogada por mais um ano.

A Força-Tarefa foi criada para tornar mais proativa a atuação do MPF na questão do desmatamento da Amazônia, mobilizando-se para combater as redes criminosas que atuam na região por meio de grilagem e corrupção. Ao longo de seu primeiro um ano e meio de trabalho, a FT deflagrou diversas operações criminosas e realizou ações de prevenção ao desmatamento.

No dia 10 de fevereiro, a PGR anunciou a renovação do trabalho da FT Amazônia. O apoio ao trabalho dessa FT é um dos objetivos da campanha Seja Legal com a Amazônia.