Coalizão Brasil realiza primeira plenária de 2019 e completa 4 anos de trajetória

Foto: Maiara Beckrich / Coalizão Brasil

 

No dia 11 de junho, a Coalizão Brasil realizou sua primeira plenária de 2019, no B_arco Centro Cultural, em São Paulo. Mais de 80 pessoas estiveram presentes e outras 30 assistiram aos debates ao vivo pelo Facebook.


Os facilitadores da Coalizão, André Guimarães, diretor-executivo do IPAM, e Luiz Cornacchioni, diretor executivo da ABAG, abriram o evento com o aniversário de 4 anos do movimento e de 1 ano dessa dupla liderança. “Nós temos uma diferença que é o diálogo. Ele nos leva a resultados melhores e as diferenças também. Esse ambiente que nós criamos na Coalizão foi fantástico”, concluiu Cornacchioni sobre a experiência de liderar o movimento em parceria com Guimarães.


“Olhando para trás, o que a Coalizão conseguiu entregar foi impressionante”, comentou Guimarães em um balanço do trabalho do movimento nos últimos meses. “Nesse curto prazo de tempo, num cenário de muitas incertezas e dúvidas, a gente abriu portas e caminhamos”, concluiu. Só este ano, a Coalizão já realizou mais de 20 reuniões com o governo, envolvendo mais de 40 representantes.


No último ano, a Coalizão apresentou um conjunto de propostas à sociedade (formado pelas 28 propostas aos candidatos às eleições 2018 e pela Visão de Futuro do movimento). No entanto, para apresentar esse conjunto ao novo governo, foi necessário desenvolver uma nova narrativa, que apresentasse esse conjunto de uma forma mais sintética. Foi então, segundo Guimarães, que a Coalizão resumiu suas propostas em dois pilares centrais: 1. Segurança e combate à ilegalidade; e 2. Nova arquitetura de financiamento da agropecuária.


Em seguida, os líderes dos 4 Fóruns de Diálogo da Coalizão (Agropecuária e Silvicultura, Floresta Nativa, Desmatamento e Políticas Públicas e Instrumentos Econômicos) apresentaram os primeiros resultados do plano de ação.


Além disso, foi realizada uma mesa sobre advocacy para debater a importância de uma agenda de convergência entre o agronegócio e o meio ambiente no cenário político brasileiro atual. Participaram da mesa: João Hummel, agrônomo e diretor-executivo do Instituto Pensar Agro (IPA); André Lima, advogado, sócio Fundador e Coordenador do Projeto #Radar Clima e Sustentabilidade do IDS; Monica Sodré, cientista política e Diretora Executiva da RAPS; Sergio Abranches, sociólogo, cientista político, jornalista, escritor e colunista da CBN; além dos facilitadores.


Confira aqui a gravação completa do evento e aqui a apresentação usada pelos palestrantes.